Pr. Carlos Eduardo

Pr. Carlos Eduardo

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Seminário de Atualização Ensinai

A TEOLOGIA BÍBLICA E O SECULARISMO PÓS-MODERNO


1) Desafio terminológico

a. Pós modernidade
i. Pós-modernidade é a condição sócio-cultural e estética que prevalece no capitalismo contemporâneo após a queda do Muro de Berlim e a consequente crise das ideologias que dominaram o século xx. O uso do termo se tornou corrente, embora haja controvérsias quanto ao seu significado e a sua pertinência.
ii. Tem como fundamento o alegado esgotamento do movimento modernista, que dominou a estética e a cultura até finais do século xx, e a perda da aura do objeto artístico pela sua reprodução em múltiplas formas: fotografias, vídeos, etc. (Walter Benjamin).
iii. Segundo o francês Jean-François Lyotard, a "condição pós-moderna" caracteriza-se pelo fim das metanarrativas. Os grandes esquemas explicativos teriam caído em descrédito e não haveria mais "garantias", posto que mesmo a "ciência" já não poderia ser considerada como a fonte da verdade.
iv. O sociólogo polonês Zygmunt Bauman, prefere usar a expressão "modernidade líquida" - uma realidade ambígua, multiforme, na qual, como na clássica expressão do manifesto comunista, tudo o que é sólido se desmancha no ar.
v. O filósofo francês Gilles Lipovetsky prefere o termo "hipermodernidade", por considerar não ter havido de fato uma ruptura com os tempos modernos - como o prefixo "pós" dá a entender. Segundo Lipovetsky, os tempos atuais são "modernos", com uma exarcebação de certas características das sociedades modernas, tais como o individualismo, o consumismo, a ética hedonista, a fragmentação do tempo e do espaço.
vi. Já o filósofo alemão Jürgen Habermas relaciona o conceito de Pós-Modernidade a tendências políticas e culturais neoconservadoras, determinadas a combater os ideais iluministas.

b. Secularismo
i. sm (secular+ismo) 1 Regime secular ou laical. 2 Espírito ou tendência secular. 3 Sistema ético que rejeita toda forma de fé e devoção religiosas e aceita como diretrizes apenas os fatos e influências derivados da vida presente; laicismo. 4 Doutrina segundo a qual devem ser excluídos da educação pública e de outros assuntos estatais elementos religiosos.
ii. O secularismo é uma política de separação entre religião e Estado, a partir da ideia de que os sacerdotes e as instituições religiosas não devem ter poder político nem influenciar nas leis.
iii. Num sentido mais amplo, como em Humanismo Secular, significa a independência em relação a religiões, crenças ou cultos.
iv. Na Europa, o secularismo desenvolveu-se com o Iluminismo e o advento da modernidade (quando a burguesia entrou em choque com as igrejas Católica e Protestante que apoiavam os aristocratas), mas só se tornaria realidade de fato após a Primeira Guerra Mundial.

c. Teologia Bíblica
i. A Teologia bíblica é a área da Teologia Geral que estuda a Bíblia e organiza as conclusões obtidas pela Teologia exegética (que usa técnicas como a exegese para interpretar a Bíblia) em várias divisões e áreas de estudo, com a finalidade de estudar e conhecer a evolução ou a história progressiva da Revelação de Deus à humanidade, desde da sua queda e passando pelo Antigo Testamento e Novo Testamento.

2) Características de pessoas secularizadas (De Gedeon J Lidório – Faculdade Sul Americana – Revista Praxis Evangélica)
g
a. É essencialmente alguém ignorante aos conceitos básicos do cristianismo. Eles encontram-se fora da ação ou da esfera de atuação da religião, portanto não recebem dela seus ensinamentos e muito menos compartilham com a mesma seus valores e verdades – apesar de não negá-los muitas vezes frontalmente age diametralmente opostos a idéia de vida estabelecida na e por meio da instituição religiosa.
b. Está buscando vida diante da morte. A ênfase da vida do secularizado não está no celeste porvir (no além, céu, recompensas celestes e futuras), mas sim, em questões vivenciais que respondam a dúvidas e necessidades reais do aqui e do agora. Estão em busca de sentido para suas vidas.
c. São pessoas mais conscientes de suas dúvidas que de suas culpas. Há uma busca de sentido para a vida e isso leva a questionamentos – geradores de dúvidas, mas como estão fora do eixo estabelecido e normatizado da religião não tem muitas culpas, pois os valores religiosos são apenas referenciais teóricos.
d. Possuem uma imagem negativa da igreja. A igreja (ou igrejas) é vista como lugar de manipulação e alienação o que gera desconfiança e visão negativa generalizada. A identificação do movimento religioso cristão tendo mesmas bases e permeando os mesmos resultados faz o secularizado entender que o que vale é o resultado – a produção é o que mescla e transforma a vida e como o valor é determinado pelo “mercado”, qualquer ação pode ser válida para a “venda do produto” – daí o conceito da não confiança.
e. Possuem múltiplas alienações. O secularizado não está à vontade em nenhuma instituição que o denomine. Geralmente o fato de não estar ligado a instituições denominadoras faz com que perca o sentimento de pertença, talvez o sentimento de não pertencer a lugar nenhum o leve a alienações múltiplas. Além disso, por causa da individualização e hedonismo ele está pronto para buscar situações que satisfaçam a si mesmo – assim se aliena mais ainda.
f. São desconfiados. O secularizado levanta suspeita sobre muitas das ações humanas – não confiam geralmente em movimentos religiosos, pois só conseguem enxergar o corporativismo que alimenta estes setores.
g. Por vezes possuem baixa auto-estima. O secularizado vive em um mundo que não sente como sendo seu – o seu sentimento é o de não pertencer. Está no meio da sociedade brasileira que ainda é massivamente religiosa e cristã, mas sente-se isolado das práticas e do cotidiano da vida brasileira que passa por muitos movimentos, situações, práticas e rituais religiosos. Esse isolamento consciente gera constantemente uma baixa auto-estima, pois está baseado num sentimento de não pertencer ao meio que se vive e não se aceito pelo grupo.
h. No seu entendimento as forças da história estão “fora de controle”. Enxerga o corporativismo, a corrupção, a má gestão do dinheiro e destino públicos, as guerras em nome de Deus, os fanáticos religiosos que não se contentam com a religiosidade da paz, mas também da guerra e tudo isso em suas mentes gera uma forte sensação de que tudo está fora do controle – principalmente porque Deus não faz mais parte de sua história, seus valores e princípios não regem mais sua vida, não está debaixo da influência da religião e entendem que não há uma força motriz por trás (no meio) da história humana.
i. No seu entendimento as pessoas estão fora de controle. Vivem num conflito por causa da instabilidade de sua própria personalidade e consideram que a psique humana como fora de controle. Seus sentimentos os levam a viver sem envolvimentos profundos e estes relacionamentos (por serem rasos e inconstantes) quase sempre acabam por fracassar, aumentando ainda a sensação de que não há nada que controle a vida.
j. O secularizado não consegue “achar a porta”. Perderam a noção real da presença de uma porta ou ponte entre o seu mundo e a realidade cristã, justamente por se colocarem fora da influência desta; a falta de um conhecimento básico do cristianismo leva-os para longe das possibilidades de encontrar um sentido no que é oferecido do cristianismo no decorrer de suas vidas.

3) Teologia Bíblica na pós modernidade

Texto Bíblico Tema:
Romanos 12:02

2 E não vos conformeis b com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.

Grego
και μη συσχηματιζω τουτο αιων αλλα μεταμορφοω ανακαινωσις υμων νους εις δοκιμαζω τις αγαθος ευαρεστος και τελειος θελημα θεος

Transliteração
kai me suschematizo touto aion alla metamorphoo anakainosis humon nous eis dokimazo tis agathos euarestos kai teleios thelema theos

a. Uma teologia não conformista (kai me suschematizo)
i. É a mantença da Identidade Cristã
1. Identidade:
a. - É o conjunto de características que individualizam qualquer pessoa dentro de uma sociedade(Miguel Reale);
b. - É o conjunto de características que definem o indivíduo(Paulo Nader);
c. - É o conjunto de características que distinguem o indivíduo em relação aos demais (Maria Helena Diniz).
2. Cristão
a. Não se sabe se o termo deriva de Christós ou Chrestós
i. - Christós: Ungido;
ii. - Chrestós: Gentil, Bom.
iii.
iv. Acredita-se que o termo também tenha adquirido diversos significados como por exemplos:
v. - Derivativo Christiani: Soldado de Cristo, Partidários de Cristo, Da casa de Cristo;
vi. - Derivativo Chrestón: Cristinho, Cristo menor, Cristo em miniatura..
b. Identidade Cristã
É o conjunto de características de individualizam o ser humano em relação aos demais tendo como paradigma Cristo.
c. Identidade versus Cédula de Identidade
i. A identidade é o conjunto de características como já falado, enquanto a Cédula é a cartularização destas características, é a documentação e formalização destas características.
ii. A identidade e a cédula não devem ser confundidas.
iii. A cédula pode ser visualizada no cartão de membros ou na declaração verbal ou exteriorizada de alguém, enquanto a identidade só pode ser comprovada por Deus ou por uma avaliação mais profunda que implica em sondar o que se passa no coração e na alma.
iv. Por vezes verifica-se conflito entre a identidade e a cédula, por exemplo:
1. Cédula falsa em relação a identidade: Dá-se quando a cédula e a identidade não se referem a mesma pessoa; A cédula já nasce não revelando às características reais de seu portador; (Falta de conversão);
2. Cédula desatualizada: A cédula já se referiu à mesma pessoa, mas deixou de sê-lo por falta de atualização; (Afastamento dos caminhos do Senhor);
3. Cédula com erros formais: Dá-se quando algum dos elementos da cédula não condiz com a verdade e macula todos os demais; (Ex: Naturalidade, Nacionalidade, etc...)
4. Ter identidade e cédula de cristão implica em ser Santo, em contraponto àqueles que fazem parte da massa ou os ímpios nos termos do Salmo 50: 05 a seguir.

b. Uma teologia transformadora (alla metamorphoo)
Fala de metamorfose, de mudança, mudança para melhor. É conversão.
É encontro com Cristo. É mudar a essência para a essência do próprio Cristo.
É o verdadeiro sentido da palavra batismo:

βαπτιζω baptizo
de um derivado de 911; TDNT - 1:529,92; v
1) mergulhar repetidamente, imergir, submergir (de embarcações afundadas)
2) limpar megulhando ou submergindo, lavar, tornar limpo com água, lavar-se, tomar banho
3) submergir
(Bible Study Magazine, James Montgomery Boice, Maio 1989).

Mateus 3:04 a 12
4 Usava João vestes de pêlos de camelo e um cinto de couro; a sua alimentação eram gafanhotos e mel silvestre. 5 Então, saíam a ter com ele Jerusalém, toda a Judéia e toda a circunvizinhança do Jordão; 6 e eram por ele batizados no rio Jordão, confessando os seus pecados. 7 Vendo ele, porém, que muitos fariseus e saduceus vinham ao batismo, disse-lhes: Raça de víboras, quem vos induziu a fugir da ira vindoura? 8 Produzi, pois, frutos dignos de arrependimento; 9 e não comeceis a dizer entre vós mesmos: Temos por pai a Abraão; porque eu vos afirmo que destas pedras Deus pode suscitar filhos a Abraão. 10 Já está posto o machado à raiz das árvores; toda árvore, pois, que não produz bom fruto é cortada e lançada ao fogo.11 Eu vos batizo com água, para arrependimento; mas aquele que vem depois de mim é mais poderoso do que eu, cujas sandálias não sou digno de levar. Ele vos batizará com o Espírito Santo e com fogo. 12 A sua pá, ele a tem na mão e limpará completamente a sua eira; recolherá o seu trigo no celeiro, mas queimará a palha
em fogo inextinguível.


c. Uma teologia renovadora da mente(anakainosis humon nous)
Esta renovação fala do processo santificatório, renovação da mente é busca da santidade.

1) Definição
a. Atributo de Deus (Pai, Filho e Espírito) pelo qual ele é moralmente puro e perfeito, separado e acima do que é mau e imperfeito (Êx 15.11; Sl 29.2; Hb 12.10).
b. Qualidade do membro do povo de Deus que o leva a se separar dos pagãos, a não seguir os maus costumes deste mundo, a pertencer somente a Deus e a ser completamente fiel a ele (1Ts 3.13).
c. No AT, separação de coisas ou pessoas para Deus e para o culto. Eram santos os sacerdotes (Lv 21.6-8), os NAZIREUS (Nm 6.5-8), Canaã (Zc 2.12), Jerusalém (Is 52.1), o Templo (Sl 11.4), os altares, o óleo e os utensílios do culto (Êx 30.25-29), os sacrifícios (Êx 28.38), etc.

2) É a vontade de Deus
a. “Porque esta é a vontade de Deus, a saber, a vossa santificação”. (1 Ts 4:3)
b. Ele nos chamou para ela ...Porque Deus não nos chamou para a imundícia, mas para a santificação” (1 Ts 4:7)
c. Cristo orou para que a tivéssemos ...“Santifica-os na verdade, a tua palavra é a verdade. E por eles eu me santifico, para que também eles sejam santificados na verdade.”. (Jo 17:17,19)

3) Santidade se alcança mediante a palavra
a. Como purificará o mancebo seu caminho? Observando-o conforme a tua palavra Sl 119:09
b. João 17:17 17 Santifica-os na verdade; a tua palavra é a verdade.
c. Efésios 5:26 26 para que a santificasse, tendo-a purificado por meio da lavagem de água pela palavra,


Conclusão

O texto que acabamos de meditar é com certeza dos mais profundos na Bíblia, interpretá-los é matéria absorvente e árdua. Mas mais complexo e necessário que interpretarmos o texto é o colocarmos em prática em nossas vidas. Veja-se que a forma verbal do texto é imperativa, portanto não trata-se de uma liberalidade, mas de uma ordem. É portanto imperativa a mantença da identidade cristã, de uma verdadeira e diária conversão e da busca incessante pela santificação.

Um comentário:

juarez disse...

Prezado Pr. Eduardao (Paz do Senhor):

Fiquei muito feliz de poder participar do Seminário de Atualização Ensinai, e mais contente ainda em tê-lo como palestrante (foi a primeira vez que acompanhei uma de suas palestras). É ótimo saber que temos em nossas igrejas pessoas realmente capacitadas e qualificadas pelo Espírito Santo. Deus o abençoe ricamente.
Pb. Juarez Alves - Tenda do Fazendinha.
http//:juarez-shalomadonai.blogspot.com